Duas estratégias para otimizar o uso de comparadores de preço na gestão de e-commerce

Duas estratégias de vendas em comparadores de preços

Para um gestor de e-commerce, é necessário cuidar do rendimento de cada mídia. Dentro do mix de mídias, os comparadores de preços são ótimas ferramentas para qualquer segmento que trabalha com multimarcas. Neste post abordaremos duas estratégias para serem utilizadas em comparadores de preço como o Buscapé ou o Zoom.

 

Um comparador de preço na internet, como o próprio nome sugere, é um local onde o cliente encontra várias lojas anunciando o mesmo produto de seu interesse. Isso é muito vantajoso para um consumidor, visto que o mesmo poderá praticamente tomar sua decisão de compra com base neste acesso.

Para um loja virtual que vende multimarcas, os comparadores de preços devem fazer parte da sua estratégia de divulgação.  É importante! Além de aumentar o mix de mídia, os comparadores de preços aumentam as possibilidades de você conseguir lead, divulgar a marca e concretizar a venda, desde que considerados dois fatores:

 

Estratégias em Comparadores de Preço

 

Esses dois fatores –preço e produto que pode ser comparado – são os principais que um gestor de e-commerce deve focar dentro da sua estratégia de operar nessas mídias. Os demais fatores tem menos relevância na decisão de compra de quem vem por essa mídia.

 

1: ESTRATÉGIA PARA TRAZER TRÁFEGO AO SITE ATRAVÉS DE COMPARADOR DE PREÇO NA INTERNET

Se a estratégia é aumentar o tráfego no e-commerce, um gestor deverá trabalhar com muitos produtos nesses comparadores de preços.

Neste caso, leve sempre em consideração o fator produto: esses produtos que serão colocados nessas mídias são passíveis de comparação? Laranja não compara com limão.

Lembre-se que historicamente, o Google Analytics, e também os dados da plataforma FBITS STORE, através de seus relatórios de vendas, serão aliados, sendo possível identificar quais marcas de produtos possuem percentual maior de demanda. Assim, coloque todos os produtos dessas marcas, e seu tráfego subirá consideravelmente.

Estratégia em comparadores de preço

 

Nessa estratégia de tráfego, também é importante trabalhar outros assuntos relevantes a conversão de vendas no e-commerce, tais como o compre junto, selos de segurança, vitrine de produtos, entre outros, que aumentam as chances de aumentarem os números de vendas.

Mídias: o básico que poucos fazem

 

2: ESTRATÉGIA PARA TER UMA BOA CONVERSÃO ATRAVÉS DE COMPARADOR DE PREÇO NA INTERNET

A estratégia baseada em maximizar o ROI, exige do gestor de e-commerce um acompanhamento diário.

É importante destacar que dentro da estratégia de vender com um ROI considerado bom, o gestor deverá operar totalmente com a mentalidade focada nos dois fatores principais: preço e produto (abordados no início do texto).

Quando um cliente chega pelo comparador de preço, além de estar em estágio avançado na decisão de compra, a grande maioria (para não dizer 100%) está em busca do menor preço. E o menor preço é o que converte nesse tipo de mídia.

Confira o que você deve se preocupar para ter eficiência nessa estratégia:

  1. SELEÇÃO: trabalhe com apenas 50 a 100 produtos nos comparadores de preço. Customize seu xml ou envie uma planilha de produtos somente com produtos que vendem no seu e-commerce. Não invente! A estratégia é conversão. Produtos que tem histórico de venda na sua loja, tendem a vender nesse tipo de mídia, desde que: você tenha o menor preço, e seu concorrente também esteja anunciando ele.
  1. ACOMPANHAMENTO DIÁRIO: neste item cabe ao gestor acessar pela manhã o Analytics e acompanhar os seguintes dados:
  1. Produtos com acesso e com conversão
  2. Produtos com acesso e sem conversão
  3. Produtos sem acesso
  4. Custo da campanha
  5. Receita das vendas

De posse destes dados, o gestor deverá tomar algumas medidas para maximizar o ROI, sendo as mais indicadas:

a)Para produtos com acesso e conversão: meu preço continua sendo o melhor? ‘Não deixe a peteca cair’. Mantenha o menor preço, desde que não agrida sua margem de forma que a venda traga prejuízo. Mas a dica mestra é: não deixe tão mais baixo que o seu concorrente principal. Venda mais barato, porém se houver uma diferença considerável, suba seu preço de forma a ficar mais próximo do concorrente com segundo melhor preço.

b) Para produtos com acesso e sem conversão: aqui deverá verificar o preço, se você tem margem para competir. Se não tiver margem para baixar, retire eles imediatamente da sua relação de produtos para que seu crédito ‘não sangre’. O termo não sangrar é utilizado para definir produtos com acesso, que custam dinheiro na mídia, e não convertem, ou seja, dinheiro saindo pelo ralo.

c) Para produtos sem acesso: retire da sua relação de produtos e substitua por outros.

d) Custo da campanha: importante identificar qual o custo da campanha, assim poderá ser provisionado investimento futuro para a mídia.

wiki_post-4-1e) Receita das Vendas: receita/custo=ROI. Acompanhe o indicador do ROI para saber o quão boa está sendo sua operação nas mídias comparadoras de preço. Um ROI ideal é 10, porém por ser uma mídia com uma pegada mais agressiva, focada em preço, espere um retorno de no mínimo 5.

 

EXEMPLOS DE COMPARADORES DE PREÇOS

wiki_post-5

Para quem ainda não trabalha com nenhum comparador de preço, pode iniciar imediatamente com pelo menos dois deles, sendo os mais acessados o Buscapé e o Zoom.

Esses dois comparadores possuem grandes investimentos em publicidade e já estão mais presentes na mente do consumidor online.

Já para o e-commerce que trabalha com ambos, a busca em aumentar o leque desse tipo de mídia, pode ser boa e permitir operar estratégias diferentes para cada uma delas. Alguns terão CPC e volume de tráfego diferenciado, o que com certeza permitirá operar estratégias distintas.

Mídias: o básico que poucos fazem

 

Comentários
More from Fernando Zambrano

Buscas Internas

Os termos são as palavras buscadas pelos clientes no seu site. As...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *